­
telefone
925 329 811
Carrinho vazio

logotipo palimage

Da Raiz (transparências)
Coleção Palavra Poema
Género Poesia
Ano 2014
ISBN 978-989-703-119-9
Idioma Português
Formato brochura | 112 páginas | 14 x 21 cm
12,50 €
10,00 €
desconto-20-por-cento.jpg
Descrição

Em DA RAIZ (transparências) de Conceição Oliveira, submergimos numa ideia de utopia do mundo, definida e assente numa construção da sílaba exposta, uma espécie de “frágil maravilhoso”, que nas suas existentes diferenças não deixa de lembrar de alguma forma Manoel de Barros, quando este celebra as coisas do mundo “olhadas de azul”, pois escrever é “carregar água na peneira”. Nestes poemas, Conceição Oliveira acompanha e escolta “a evasão dos pássaros no murmúrio dos riachos” e mergulha e entranha “os pés em terra fresca”, alimenta (se) o seu corpo, o físico e o da poesia, de todas as emoções e frutos, alvoroços e carpos, sílabas e verbos, de forma transbordante e vulnerável pelo ébrio “eu lírico”, pois só assim “a terra dispara, rumo ao infinito, voando… ”! Poesia “oferecida”, poesia como quer o poema, pois como diz Lorca, “a poesia não quer adeptos, quer amantes” e este livro em sua utopia de mar e terra, é o cântico lírico da ave, o náufrago entoando: “a minha casa é a ilha onde aporto em tempestades”, siderado (ele) e siderados (os leitores), “pelo entendimento que transcende o entendimento comum, solto pela raiz” – a poesia em sua plena imanência.

João Rasteiro

“Quando estou na Poesia tudo se torna mais claro”.
É essa a sina do Poeta. Por isso, não admira o objectivo de Conceição Oliveira afirmado e reafirmado “Afastar a mágoa do mundo / Quero / Quero muito” e é natural que, de tanto pensar, conclua sabiamente “Há um tempo para tudo / Por isso, às vezes não penso / Faz-me falta não pensar”.
E como sabeis a poesia é vida. Vida que nos vai inspirando no seu encanto e desencanto num mundo onde cada vez mais reinam desumanos mascarados de humanos.
Daí a impossibilidade do não-pensamento num Poeta, que é tragicamente um fiel guerrilheiro da verdade que busca incessantemente.
Objectivamente as obras literárias como todas as obras de arte são de uma solidão infinita, mas trazem-nos a beleza e o espanto e, ainda, a riqueza da nossa singularidade poética no mundo. Com esta Poeta que se vai afirmando não poderia ser diferente.
A candura da sua suave poética revela-nos o ser que nela habita e que serenamente vai lendo o mundo de forma muito particular e única, porque como diz convicta “Há dias em que trago o mar dentro de mim”. E o Mar meus senhores, o Mar…, quem pára o Mar?

Delmar Maia Gonçalves
(Escritor e Presidente do Círculo de Escritores
Moçambicanos na Diáspora)

Ler Da Raiz (transparências) é como embarcar num embalo libertador. Eu embarquei, embalei e gostei.

Com Da Raiz (transparências), Conceição Oliveira conduz-nos através da realidade mais real das coisas, desnudadas pelo poder mágico das suas palavras.

Miguel Almeida

­

Em caso de litígio, o consumidor pode recorrer ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra, com sítio em www.centrodearbitragemdecoimbra.com e sede em Av. Fernão Magalhães, Nº. 240, 1º, 3000-172 Coimbra
Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização. Consulte as condições de utilização e a nossa política de privacidade.
copyright 2016-2019 Palimage | Terra Ocre, Lda. | Portugal | Todos os direitos reservados