­
telefone
925 329 811
Carrinho vazio

logotipo palimage

Revista Oficina de Poesia nº12
Revista Oficina de Poesia
Género Revista
Ano 2009
ISSN 1645-3662
Idioma Português
Formato brochura | 116 páginas | 21 x 15 cm
7,42 €
5,94 €
desconto-20-por-cento.jpg
Descrição

Editorial
Os poetas não têm que ser lidos, da mesma forma que as árvores não têm de ter ninguém a sentar-se-lhes à sombra, quando se trata de transformar emissões societais venenosas em qualquer coisa que seja respirável. (...) O poder político da poesia não se mede com números; ensina-nos a fazer cálculos de forma diferente.
Charles Bernstein



ainda a imagem da árvore. oficina de poesia. ainda os ramos em constante movimento dirigido para fora. Projecto Oficina de Poesia. ainda a celebração de lugares desconhecidos. a crescer o saber. a saber crescer. a saber: Projecto Novas Poéticas de Resistência. ainda o tronco de raízes múltiplas e mais ou menos subterrâneas porque, ainda e outra vez, a responsabilidade da poesia que, pela perturbação, cria a ruptura na transformação do olhar sobre o mundo. ainda a celebração da(s) complexidade(s), raízes que tocam ramos a desafiar a ordem, a mangar... até das regras da pontuação hierarquizada e do rigor das medições e da lei da gravidade. grave! muito grave! por isso, o eterno diálogo em floresta grande, com os poetas em residência Márcio-André, Miro Villar e outros convidados. floresta grande de vozes de convidados tantos. Paulo de Tarso Porrelli. Fernando Esteves Pinto. Susana Vargas. Gabriela Rocha Martins. Pedro Afonso. Lugares novos de novos poetas nos mapas Susana Miguel. Tiago P. Carvalho. ainda palavra feita acção. sempre a resignificação. a não resignação da linguagem. sempre poiesis. sempre processo. sempre à pequena escala, lugar da linguagem verdadeiramente emancipatória a constituir-se relação com em vez de conhecimento sobre. a saber: leituras públicas, oficinas de escrita nas escolas, acções de rua... no trânsito, em trânsito, à hora de ponta. Em movimento . acreditamos no movimento e no erro, no coxear e no gaguejo... e cremos que há sempre maneira de um caminhar diferente a fugir de um qualquer centro (também de análise). Outra vez a imagem da árvore. revista feita árvore.

Teresa Fonseca

­

Em caso de litígio, o consumidor pode recorrer ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra, com sítio em www.centrodearbitragemdecoimbra.com e sede em Av. Fernão Magalhães, Nº. 240, 1º, 3000-172 Coimbra
Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização. Consulte as condições de utilização e a nossa política de privacidade.
copyright 2016-2019 Palimage | Terra Ocre, Lda. | Portugal | Todos os direitos reservados